Lampejos

lampejo = brilho ou clarão repentino. 
Este é o espaço no blog de compartilhamento de lampejos em forma de poesias, desenhos, pinturas, orações, frases, músicas, fotografias...








Jung: Livro Vermelho






ESCRITOS RECOLHIDOS NA EXPOSIÇÃO
Conversando com o mar e com a areia...




"Vejo a beleza das formas que surgem com o movimento da natureza. Vejo uma floresta, o mapa do Brasil, fósseis na pedra, mãe com criança no colo, uma flor que solta um fluxo de energia, uma água que faz seu curso e deixa marcas"

“Vejo movimento, marcas”

“É sol e mar e a areia é o sangue dourado do sol derramando sobre o planeta o calor e o sopro do amor” Marta Isabel

“O mar é assim
Vai e vem trazendo cores e formas
E é assim a nossa vida”


“o mar, o mar”

“ Eu vejo raízes, rizomas, conexões, pegadas, rastros de história – construída e contínua. Espuma de acolhimento, família, coração, seio pulsante. Água de mulher e água de homem. Falo e útero – filhos num abraço em um caminho crescente”

“Sexo, ancestralidade, energia cósmica que senti aí fortemente... ao mesmo tempo se sente bem pequenininho como um grão de areia. As rochas avermelhadas e estranhas, parece outro planeta. O mar é sempre o mar. Sexo. Ancestralidade”

“O mar me fala do meu interior! O som do mar batendo na areia é o som do meu interior... às vezes brando, às vezes voraz.
Gera pequenas marcas na areia ou grandes falanges na rocha. Mas todas as marcas geradas pelo grande soar do meu interior expande-o mais e mais, chegando a me conectar com o grande universo” Rafaela Cavalcante
“O mar, a força, a capacidade de renovação, transformação, natureza, simplicidade... leva e entrega... acordar...dormir...”

“O amor fala do mar. O mar fala do amor. E você consegue nos falar de tudo isso de maneira livre, bela e suave. Parabéns!” Hildes

“O mar me traz lembranças boas de infância. Ele me dá paz... o mar me dar a oportunidade de compartilhar momentos sem preço junto com o meu filho. Amo comtemplar o mar, me traz paz interior...me faz parar para refletir. Me sinto muito bem em frente ao mar”Ana Paula Sena


“lindas as pistas que o mar deixa, mostrando a sua presença na areia. Lindo como a areia se permite ser marcada naturalmente pelo mar, pelas pegadas, pelas ondas. Que aprendizado podem trazer à vida que precisa deixar o natural chegar e marcar com a mesma leveza” Natália M.










CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "Há tantos caminhos na vida"
Natália Vasconcelos





CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "O Céu Colorido do sertão"
Natália Vasconcelos






CAMPANHA 100 DIAS FELIZES
Alessandra Guimarães







CAMPANHA 100 DIAS FELIZES
Cristina Lopes







CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "Fazer Trilhas e Caminhadas"
Josefina Campos







CAMPANHA 100 DIAS FELIZES-  "Cuidar de minhas plantas"
Josefina Campos







CAMPANHA 100 DIAS FELIZES
Muirá Belém






CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "Caminhar pelo Recife sentindo o vento no rosto"
Alessandra Guimarães






CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "Pedalada"
Lívia Campello





CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - " Organizar a estante de livros"
Lívia Campello


CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - " O que me deixa feliz são meus sobrinhos: Maria Eduarda e Eduardo"
Adriana Aquino


CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - " O que me faz feliz é encontrar amigos. Eu sou a terceira da esquerda para a direita. Estou de blusa rosa e calça jeans. Amigos da Especialização"
Adriana Aquino




CAMPANHA 100 DIAS FELIZES - "O que me faz feliz ..."
Andréa Graupen







Luz : para iluminar os caminhos do novo ciclo que se abre ... 





Acredito na minha carne
Porque sangra.
Acredito na minha carne
Porque vomita suores e ânsias
Porque se cansa depois do amor
E se cansa do que não é amor
Acredito na minha carne
Barro batido, cachorro que late
Formiga trabalhadeira.
Acredito na minha carne
Por seus odores,
Pelas memórias que guarda e revela
Acredito na minha carne
Pelos sais e pelos ais,
Pelas cacimbas escuras
Pela dança de todos os mortais
Acredito na minha carne
Pelos tremores, medos escondidos
Vigias da minha pura luz
Pelos risos puros do sol
Da boca, dos olhos, do coração em prece
Pelos cabelos que me nascem,
Antenas bem sintonizadas com o céu
Acredito na minha carne
Pelos pensamentos que acolhe
Abrigo amoroso das ventanias
Acredito na minha carne
Porque é a própria terra, sua mãe raiz.  
(Carne Viva – Josefina Campos)





                                           Por Andréa Graupen



                                                             (Por Maria Carvalho)

Considerações sobre o tempo

O tempo...

O tempo interno
O tempo da chegada
O tempo do cansaço
O tempo do medo
O tempo do trabalho
O tempo cronológico
O tempo do amor
O tempo dos inícios
O tempo aproveitado
O tempo não vivido
O tempo da partida
O tempo da fala
O tempo do silêncio
O tempo aprisionado
O tempo voando
O tempo da ansiedade
O tempo das escolhas
O tempo de ser criança
O tempo de crescer
O tempo dividido
O tempo TODO
O tempo da espera
O tempo de ouvir
O tempo de explorar
O tempo de afinar
O tempo de encontrar
O tempo de um café
O tempo de uma conversa
O tempo de entender
O tempo de aceitar
O tempo de perdoar
O tempo de se permitir
O tempo de sentir
O tempo de desejar
O tempo de enfrentar
O tempo da paciência
O tempo do corpo
O tempo de organizar
O tempo de desligar...


O tempo, eu escrevo com meu dedo!
(Por Maria Carvalho)




Tempo

Te sinto, sinto tanto, sinto muito...
As vezes tempo menino girando feito bola, balão... leve.
Outras te sinto peso, gravidade, marcas... marca em mim.
Tempo semente, ciclo, nasce, cresce e morre!
Brigo. Não aceito. Apodrece.
Você me ensina, eu me entrego.
Fazemos as pazes. Renasce...
(Por Andréa Graupen)




                        Por Alessandra Guimarães







"Entrando em Territórios Desconhecidos" - Por Alessandra Guimarães




O TEMPO (LAVOURA ARCAICA, RADUAN NASSAR)

O TEMPO É O MAIOR TESOURO DE QUE UM HOMEM PODE DISPOR
EMBORA INCOMSUMÍVEL, O TEMPO É NOSSO MELHOR ALIMENTO...
SEM MEDIDA QUE O CONHEÇA, O TEMPO É CONTUDO NOSSO BEM DE MAIOR GRANDEZA:
O TEMPO NÃO TEM COMEÇO
O TEMPO NÃO TEM FIM
O TEMPO ESTÁ EM TUDO!
RICO É O HOMEM QUE APRENDEU, PIEDOSO E HUMILDE, A CONVIVER COM O TEMPO, APROXIMANDO-SE DELE COM TERNURA, NÃO CONTRARIANDO SUAS DISPOSIÇÕES, NÃO SE REBELANDO CONTRA SEU CURSO, NÃO IRRITANDO SUA CORRENTE, ESTANDO ATENTO AO SEU FLUXO, BRINDANDO-O ANTES COM SABEDORIA PARA RECEBER DELE OS FAVORES E NÃO A SUA IRA.
O EQUiLÍBRIO DA VIDA DEPENDE ESSENCIALMENTE DESTE BEM SUPREMO: DO TEMPO
QUEM SOUBER COM ACERTO A QUANTIDADE DE VAGAR, OU A DE ESPERA, NÃO CORRE NUNCA O RISCO, AO BUSCAR POR ELAS, DE DEFRONTAR-SE COM O QUE NÃO É;
POIS SÓ A JUSTA MEDIDA DO TEMPO DÁ A JUSTA NATUREZA DAS COISAS...
O TEMPO SABE SER BOM, O TEMPO É LARGO, GRANDE, GENEROSO.
O TEMPO É FARTO, É SEMPRE ABUNDANTE EM SUAS ENTREGAS:
ELE DIMINUI NOSSAS AFLIÇÕES
DILUI E TENSÃO DOS PREOCUPADOS, SUSPENDE A DOR DOS TORTURADOS, DÁ CONFORTO AOS QUE LAMENTAM, DÁ A ALEGRIA AOS TRISTES, O CONSOLO AOS DESAMPARADOS, O RELAXAMENTO AOS QUE SE CONTORCEM, A SERENIDADE AOS INQUIETOS, O REPOUSO AOS SEM SOSSEGO.

EM TUDO O TEMPO NOS ATENDE...
                                                                        (Trecho compartilhado por Alessandra Guimarães)





                          
                                       Por Alessandra Guimarães







                                     Por Sayuri Matsumiya





                                                         Por Sayuri Matsumiya


                                  Por Alessandra Guimarães













                                   Por Alessandra Guimarães
                             (lápis pastel e lápis aquarelável) 




Alma re-tratada

Não posso caminhar
senão por minha alma primeiro
Colher o quê senão minhas próprias respostas
Um clarão se abrirá diante das minhas descobertas

Desloquei meu sonho para a realidade 
deslocada da minha alma

Sobrei e vivi ao canto profundo do silêncio
flutuando notas cintilantes de um azul 
quase celeste com brilho multicolorido
endurecido pelas paisagens do tempo

Passou diante dos meus olhos asas
de liberdade liberando um leve odor cor de rosa
Uma sensação de tocar suavemente no branco
pálido e transparente da imagem distorcida das
minhas verdades
Essas que me desnudam os sentimentos e fortalecem
a minha alma aqui re-tratada

Imagem e Poema - Por Mônica Reis






Poema quase persa - Marina Colasanti
Vem, amado,
segura minhas ancas nas tuas mãos
enquanto as minhas
domam teus joelhos.
Vem,
abre na minha testa
uma estrada de estrelas
e como um sol nascente de verão
aquece
folha a folha
os meus rosais.













                           Por Cristina Lopes




     "Caminho..." Por Alessandra Guimarães




                                                            Por Alessandra Guimarães   






                 Por Alessandra Guimarães





SOUL COLAGE: Oficina Arteterapêutica que aconteceu no Lumen Novum em 05/05/12 
Com Maria Odette Sucupira


    Por Alessandra Guimarães
Imagem produzida durante a Oficina "Soul Collage (R)"








                                          Por Cristina Lopes












                                                                    Por Andréa Graupen















                                                                   Por Andréa Graupen






CRIATIVIDADE E POTENCIALIDADE:
A INSPIRAÇÃO É UM CACHORRO PRETO, UM DOBERMAN BEM AÍ ATRÁS DE VOCÊ.












                                            Por Andréa Graupen








                 Por Alessandra Guimarães












                                            Por Cristina Lopes












                                                          Por Alessandra Guimarães




 

                                           Por Cristina Lopes










                                             Por Cristina Lopes










                                           por Cristina Lopes









MÃOS ACESAS

AS MINHAS MÃOS BRINCAM ACESAS
QUANDO ILUMINADAS, AMAM INTENSAMENTE
QUANDO SAUDOSAS, CHORAM A AUSÊNCIA

AS MINHAS MÃOS COLOREM PESSOAS, PINTAM ABRAÇOS
DESENHAM CARINHOS, CRIAM E RECRIAM GESTOS
AS MINHAS MÃOS CONTORNAM,
TORNAM VIVAS AS MINHAS EMOÇÕES

AS MINHAS MÃOS ABERTAS, APROXIMAM
FECHADAS, DISTANCIAM
MÃOS QUE AMAM, MÃOS QUE ODEIAM
MÃOS LÍQUIDAS, FLUÍDAS ... IMENSAMENTE MOLHADAS
MÃOLHADAS DE VIDA...

AS MINHAS MÃOS DESENHAM SONHOS, FALAM
PLANTAM IDÉIAS
AS MINHAS MÃOS CRIAM O MEU MUNDO...

Alessandra Guimarães





                                                           Por Alessandra Guimarães